Facebook

Siga o Guia do TRC – Fique informado e atualizado sobre o setor de Transportes.

13/03/2018
Presidente do G10 defende volta dos 6×2 nos bitrens

Para Cláudio Adamuccio, resolução do Contran não surtiu efeito e “inviabilizou” os 7 eixos

Nelson Bortolin

A resolução 210 do Contran, que obriga o uso de tração 6×4 nos bitrens de 7 eixos fabricados a partir de 2011, não surtiu o efeito esperado. O mercado preferiu substituir a configuração de 57 toneladas pelos bitrens de 9 eixos (74 toneladas), os 8×2 com LS (54,5 toneladas), ou as carretas com eixos distanciados, as vanderléias (53 toneladas). E essas combinações seriam menos seguras e mais danosas ao pavimento.

Esses são os argumentos do empresário Cláudio Adamuccio, presidente do G10 – grupo de transporte de grãos de Maringá – para defender a volta dos cavalos 6×2 nos bitrens de 7 eixos, conforme prevê o projeto de lei do marco regulatório do Transporte Rodoviário de Carga (TRC), aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado.

“Por força de lei não se administra o mercado. Quando a lei proibiu o 6×2 no bitrem, o mercado foi para os 9 eixos, que são mais compridos e dificultam a ultrapassagem, ou para as carretas de eixos distanciados, que não são tão amigáveis ao pavimento. Então, o efeito da lei foi nulo”, afirma Adamuccio.

O mercado, diz o empresário, foi buscar alternativas “viáveis economicamente”. Segundo ele, não é a diferença de preço entre um cavalo 6×2 e um 6×4 – “em média R$ 18 mil” – que fez os frotistas deixarem o bitrem de lado. “Na realidade, o transportador não gosta dos 6×4 porque pesam 800 quilos a mais e consomem 3% a mais de diesel”, alega. Carregando 800 quilos a menos de carga e gastando mais combustível, os bitrens teriam ficado inviáveis.

“Sou favorável que volte (o 6×2). Não é o melhor dos mundos, mas é melhor que os eixos distanciados e melhor que um 9 eixos. Em relação ao custo-benefício, o bitrem com 6×2 é mais amigável e vantajoso para o país como um todo”, defende.

Fonte: Carga Pesada - PR

SERVIÇOS
COLUNISTAS

Richard Krabbendam

Safety expert Richard Krabbendam warns of what can go wrong if the laws of physics are ignored – and provides a checklist of measures to help ensure safe lifting operations. continuar lendo»

Rubem Penteado

Para semirreboque com eixo distanciado (carreta “Wanderléia”) a condição de “autodirecional” é proporcionada pela instalação da “rala giratória” em um dos eixos (normalmente o 1º). O mecanismo desse eixo é dotado de sistema de auto-alinhamento quando em movimento retil continuar lendo»

Neuto Gonçalves

O custo logístico brasileiro passou a representar 11,9% do PIB nacional em 2015, mantendo uma tendência crescente que vem desde 2010 quando era de apenas 10,6%. continuar lendo»
NOTICIAS DA SEMANA EM REVISTA

Confira aqui as reportagens mais interesssantes publicadas nas principais REVISTAS DO SETOR.

FIQUE ATENTO

O trabalho de motorista exige aptidão física e psíquica e, por isso, essa função não deve entrar no cálculo para se definir a cota de deficientes em uma empresa. O entendimento é do juiz Itamar Pessi, da 11ª Vara do Trabalho de Vitória, que julgou procedente o pedido de uma trans continuar lendo»
As empresas de transportes devem ficar atentas aos prazos para atualização e recadastramento no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC). continuar lendo»